COVID-19

https://lookedtwonoticia.com.br/wp-content/uploads/2021/09/covid-19.jpg

COVID-19

Os coronavírus são uma grande família de vírus comuns em muitas espécies diferentes de animais, incluindo camelos, gado, gatos e morcegos. Raramente, os coronavírus que infectam animais podem infectar pessoas, como exemplo do MERS-CoV e SARS-CoV. Recentemente, em dezembro de 2019, houve a transmissão de um novo coronavírus (SARS-CoV-2), o qual foi identificado em Wuhan na China e causou a COVID-19, sendo em seguida disseminada e transmitida pessoa a pessoa. Se estiver doente, com sintomas compatíveis com a COVID-19, tais como febre, tosse, dor de garganta e/ou coriza, com ou sem falta de ar, evite contato físico com outras pessoas, incluindo os familiares, principalmente, idosos e doentes crônicos, Procure imediatamente os postos de triagem nas Unidades Básicas de Saúde / UPAS ou outras unidades de saúde. Informação Oficial do Ministério da Saúde.

Campanha Nacional de Vacinação contra Covid-19

Contexto

O Ministério da Saúde, por meio do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), disponibiliza nesta página dados referentes à Campanha Nacional de Vacinação contra Covid-19 para análise de instituições interessadas e do público.

Objetivo

Esta página tem como finalidade disponibilizar os registros de vacinação contra Covid-19, sem identificação do cidadão (anonimizados), contidos na Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS), desde o início da Campanha. São dados disponibilizados pela SI-PNI, e-SUS APS e dos sistemas próprios de estados e municípios que estão devidamente integrados com a RNDS. Os dados disponíveis no OpenDatasus englobam o número de doses aplicadas, por UF e municípios, por um determinado período, por gênero, por faixa etária e por tipo de vacina. Consta ainda com o percentual de vacinados, as coberturas vacinais (CV) do Brasil, das UF e dos municípios, CV em um determinado período, por gênero, por faixa etária e o mapa de distribuição espacial das coberturas vacinais segundo as UF e municípios.

Os registros de vacinação foram coletados com base nos seguintes instrumentos normativos:

  • Medida Provisória nº 1.026, de 6 de janeiro de 2021, dispõe sobre as medidas excepcionais relativas à aquisição de vacinas, insumos, bens e serviços de logística, tecnologia da informação e comunicação, comunicação social e publicitária e treinamentos destinados à vacinação contra a covid-19 e sobre o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19.
  • Portaria GM/MS nº 69, de 14 de janeiro de 2021 – institui a obrigatoriedade de registro de aplicação de vacinas contra Covid-19 nos sistemas de informação do Ministério da Saúde.
  • Nota Informativa nº 1/2021 – CGPNI/DEIDT/SVS/MS, de 10 de janeiro de 2021, dispõe sobre as orientações para o registro de vacinas no sistema de informação e sobre acesso às informações referentes à vacinação contra Covid-19.

Aviso

A disseminação do conjunto de dados de Vacinação da COVID-19 está suspensa para manutenção técnica. A previsão de retorno é terça-feira (17/08/2021).

Notificações de Síndrome Gripal

Definição:

O Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), implementou, devido à pandemia, a vigilância da Síndrome Gripal (SG) de casos leves a moderados suspeitos de COVID-19.

Esta página tem como finalidade disponibilizar o banco de dados epidemiológicos de SG, a partir da incorporação do sistema e-SUS VE Notifica, em vigor a partir de março de 2020.

Descrição da informação disponibilizada:

Os dados são oriundos do sistema e-SUS NOTIFICA, que foi desenvolvido para registro de casos de Síndrome Gripal suspeitos de Covid-19, e contém dados referentes ao local de residência do paciente (campos: estado, município), independentemente de terem sido notificados em outro estado ou município (Campos: estadoNotificação, municípioNotificação), além de demográficos e clínicos epidemiológicos dos casos.

Limitações dos dados:

Os dados disponíveis não apresentam informações de estados e municípios que utilizam sistemas próprios de notificação de casos suspeitos de Covid-19 e, portanto, os dados para esses locais podem apresentar informações distintas.

Estes dados são preliminares, sujeitos a avaliação.

As bases estão sendo avaliadas e harmonizadas, com o objetivo de ser verificada sua consistência, principalmente em relação a atualização dos dados.

Devido ao grande número de casos notificados suspeitos de COVID-19, alguns estados já possuem mais de 1.048.576 de registros, o que impossibilita estes dados de serem abertos no Excel.

Para maiores informações, consultar a Ficha de Investigação e o Instrutivo de preenchimento da ficha, disponíveis por meio do link: https://datasus.saude.gov.br/notifica/

SRAG 2021 – Banco de Dados de Síndrome Respiratória Aguda Grave – incluindo dados da COVID-19

Vigilância de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)

O Ministério da Saúde (MS), por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), desenvolve a vigilância da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Brasil, desde a pandemia de Influenza A(H1N1)pdm09 em 2009. A partir disso, esta vigilância foi implantada na rede de Influenza e outros vírus respiratórios, que anteriormente atuava apenas com a vigilância sentinela de Síndrome Gripal (SG).

Recentemente (2020), a vigilância da COVID-19, a infecção humana causada pelo novo Coronavírus, foi incorporada na rede de vigilância da Influenza e outros vírus respiratórios.

Esta página tem como finalidade disponibilizar o legado dos bancos de dados (BD) epidemiológicos de SRAG, da rede de vigilância da Influenza e outros vírus respiratórios, desde o início da sua implantação (2009) até os dias atuais (2021), com a incorporação da vigilância da COVID-19. Atualmente, o sistema oficial para o registro dos casos e óbitos de SRAG é o Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe).

No Guia de Vigilância Epidemiológica Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional pela Doença pelo Coronavírus 2019 estão disponíveis informações sobre definições de casos, critérios de confirmação e encerramento dos casos, dentre outros.

Ressaltamos que os dados da vigilância de SRAG no Brasil disponibilizados nesta página, estão sujeitos a alterações decorrentes da investigação pelas equipes de vigilância epidemiológica que desenvolvem o serviço nas três esferas de gestão.

As bases de dados de SRAG disponibilizadas neste portal passam por tratamento que envolve a anonimização, em cumprimento a legislação.

Os dados de 2021 são disponibilizados semanalmente, às quartas-feiras, podendo, excepcionalmente, a atualização ocorrer em outro dia

Para mais informações, acessar:

Gripe/Influenza – https://saude.gov.br/saude-de-a-z/gripe

COVID-19 – https://coronavirus.saude.gov.br/

Guia Nacional de Vigilância da COVID-19 – https://portalarquivos.saude.gov.br/images/af_gvs_coronavirus_6ago20_ajustes-finais-2.pdf

SRAG 2020 – Banco de Dados de Síndrome Respiratória Aguda Grave – incluindo dados da COVID-19

Vigilância de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)

O Ministério da Saúde (MS), por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), desenvolve a vigilância da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Brasil, desde a pandemia de Influenza A(H1N1)pdm09 em 2009. A partir disso, esta vigilância foi implantada na rede de Influenza e outros vírus respiratórios, que anteriormente atuava apenas com a vigilância sentinela de Síndrome Gripal (SG).

Recentemente (2020), a vigilância da COVID-19, a infecção humana causada pelo novo Coronavírus, foi incorporada na rede de vigilância da Influenza e outros vírus respiratórios.

Esta página tem como finalidade disponibilizar o legado dos bancos de dados (BD) epidemiológicos de SRAG, da rede de vigilância da Influenza e outros vírus respiratórios, desde o início da sua implantação (2009) até os dias atuais (2020), com a incorporação da vigilância da COVID-19. Atualmente, o sistema oficial para o registro dos casos e óbitos de SRAG é o Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe).

No Guia de Vigilância Epidemiológica Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional pela Doença pelo Coronavírus 2019 estão disponíveis informações sobre definições de casos, critérios de confirmação e encerramento dos casos, dentre outros.

Ressaltamos que os dados da vigilância de SRAG no Brasil disponibilizados nesta página, estão sujeitos a alterações decorrentes da investigação pelas equipes de vigilância epidemiológica que desenvolvem o serviço nas três esferas de gestão.

As bases de dados de SRAG disponibilizadas neste portal passam por tratamento que envolve a anonimização, em cumprimento a legislação.

Os dados de 2020 são disponibilizados semanalmente, às quartas-feiras, podendo, excepcionalmente, a atualização ocorrer em outro dia

Para mais informações, acessar:

Gripe/Influenza – https://saude.gov.br/saude-de-a-z/gripe

COVID-19 – https://coronavirus.saude.gov.br/

Guia Nacional de Vigilância da COVID-19 – https://portalarquivos.saude.gov.br/images/af_gvs_coronavirus_6ago20_ajustes-finais-2.pdf

 

https://lookedtwonoticia.com.br/wp-content/uploads/2021/09/logo-datasus-300x91-1.png

 

O DATASUS disponibiliza informações que podem servir para subsidiar análises objetivas da situação sanitária, tomadas de decisão baseadas em evidências e elaboração de programas de ações de saúde.

A mensuração do estado de saúde da população é uma tradição em saúde pública. Teve seu início com o registro sistemático de dados de mortalidade e de sobrevivência (Estatísticas Vitais – Mortalidade e Nascidos Vivos). Com os avanços no controle das doenças infecciosas (informações Epidemiológicas e Morbidade) e com a melhor compreensão do conceito de saúde e de seus determinantes populacionais, a análise da situação sanitária passou a incorporar outras dimensões do estado de saúde.

Dados de morbidade, incapacidade, acesso a serviços, qualidade da atenção, condições de vida e fatores ambientais passaram a ser métricas utilizadas na construção de Indicadores de Saúde, que se traduzem em informação relevante para a quantificação e a avaliação das informações em saúde.

Nesta seção também são encontradas informações sobre Assistência à Saúde da população, os cadastros (Rede Assistencial), das redes hospitalares e ambulatoriais, o cadastro dos estabelecimentos de saúde, além de informações sobre recursos financeiros e informações Demográficas e Socioeconômicas.

Além disso, em Saúde Suplementar, são apresentados links para as páginas de informações da Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS.

 

https://lookedtwonoticia.com.br/wp-content/uploads/2021/09/logo-ms-300x53-1.png

 

COVID19
Sobre o Painel
Atualizado em:23/09/2021 20:00
Introdução
Este painel foi desenvolvido para ser o veículo oficial de comunicação sobre a situação epidemiológica da COVID-19 no Brasil.
Atualizações
O processo de atualização dos dados sobre casos e óbitos confirmados por COVID-19 no Brasil é realizado diariamente pelo Ministério da Saúde através das informações oficiais repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde das 27 Unidades Federativas brasileiras. Os dados fornecidos pelos estados são consolidados e disponibilizados publicamente todos os dias, em torno das 19h.
Limitações
O processo de atualização das informações nos municípios, estados e na esfera federal é dinâmico e complexo. Os dados informados diariamente são sujeitos a alterações. Considerando a pluralidade de cada município brasileiro no que diz respeito a porte populacional, infraestrutura e organização dos serviços de saúde, além de todos os desafios que a pandemia de COVID-19 impõe, é possível que haja mudanças no número de casos ou óbitos em decorrência de erros ou atrasos no repasse das informações.Em nível municipal, o dado do dia atual pode ser menor que o do dia anterior: isso acontece porque o município de notificação não é necessariamente o mesmo local de residência do caso ou óbito notificado. Assim, ao concluir o processo de investigação de cada ocorrência individualmente, as Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde possuem autonomia para corrigir a informação e repassá-la ao Ministério da Saúde.Os casos e óbitos são atualizados por data de notificação. O Ministério da Saúde vem trabalhando em conjunto com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde para divulgação desses indicadores.
Conceitos básicos:
Casos novos
Número de casos novos confirmados por COVID-19 que foram registrados pelas Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde em relação ao dia anterior.Reflete o número de casos diagnosticados e registrados pelas secretarias de saúde, não significando a data de início dos sintomas. Para análise dos casos por data de início dos sintomas, deve-se utilizar os dados do sistema e-SUS VE e do Sistema de Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe), para os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) Hospitalizados, além dos dados provenientes dos sistemas de informação de Síndrome Gripal implantados em alguns estados.
Casos acumulados
Número total de casos confirmados por COVID-19 que foram registrados pelas Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde no período considerado.
Óbitos novos
Número de óbitos novos confirmados por COVID-19 que foram registrados pelas Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde em relação ao dia anterior.Reflete o número de óbitos reportados pelas secretarias de saúde na data em que tiveram a confirmação laboratorial ou clínico epidemiológica. Não reflete a data de ocorrência do óbito. Para análise de óbitos por data de ocorrência, deve-se utilizar os dados registrados no Sistema de Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe), onde devem ser notificados todos os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) Hospitalizados ou óbitos por SRAG, independente de hospitalização. Também devem ser observados os registros de óbitos no Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM).
Óbitos acumulados
Número total de óbitos confirmados por COVID-19 que foram registrados pelas Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde no período considerado.
Coeficiente de Incidência de COVID-19
Conceituação
Número de casos confirmados de COVID-19 por 100.000 habitantes, na população residente em determinado espaço geográfico, no período considerado.A definição de caso confirmado de COVID-19 baseia-se em critérios adotados pelo Ministério da Saúde para orientar as ações de vigilância epidemiológica da doença em todo o país.
Interpretação
Estima o risco de ocorrência de casos de COVID-19 numa determinada população num período considerado.
Usos
Analisar variações populacionais, geográficas e temporais da distribuição dos casos confirmados de COVID-19, como parte do conjunto de ações de vigilância epidemiológica da doença.Contribuir na avaliação dos níveis de saúde da população, prestando-se para comparações nacionais e internacionais.Subsidiar processos de planejamento, gestão e avaliação de políticas e ações de saúde direcionadas para a o enfrentamento do COVID-19 no contexto da prevenção e controle das doenças.
Limitações
Depende das condições técnico-operacionais do sistema de vigilância epidemiológica, em cada área geográfica, para detectar, notificar, investigar e realizar testes laboratoriais específicos para a confirmação diagnóstica de casos de COVID-19.
Fonte
Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS): Guia de Vigiläncia Epidemiológica do COVID-19.Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde.*População: Estimativas de 2019 utilizadas pelo TCU para determinação das cotas do FPM (sem sexo e faixa etária). Disponível em https://datasus.saude.gov.br/populacao-residente/
Método de cálculo
Número de casos confirmados de COVID-19 em residentes X 100.000
População* total residente no período determinado.
Coeficiente de Mortalidade por COVID-19
Conceituação
Número de óbitos por doenças COVID-19, por 100 mil habitantes, na população residente em determinado espaço geográfico, no ano considerado.
Interpretação
Estima o risco de morte pela COVID-19 consideradas e dimensiona a sua magnitude como problema de saúde pública.Reflete também a efetividade de medidas de prevenção e controle, bem como as condições de diagnóstico e da assistência médica dispensada.A taxa de mortalidade específica não padronizada por idade está sujeita à influência de variações na composição etária da população, o que exige cautela nas comparações entre áreas geográficas e para períodos distintos.
Usos
Analisar variações populacionais, geográficas e temporais da mortalidade por COVID-19 em segmentos populacionais, identificando situações de desigualdade e tendências que demandem ações e estudos específicos.Contribuir para comparações nacionais e internacionais.Subsidiar processos de planejamento, gestão e avaliação de políticas públicas de promoção, proteção e recuperação da saúde, concernentes à COVID-19.
Limitações
Requer correção da subenumeração de óbitos captados pelo sistema de informação sobre mortalidade, especialmente nas regiões Norte e Nordeste.Apresenta restrição de uso sempre que ocorra elevada proporção de óbitos sem assistência médica ou por causas mal definidas.Requer análise de tendências das causas específicas que compõem o indicador, as quais seguem padrões epidemiológicos próprios e diferenciados.
Fonte
Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância à Saúde (SVS): Guia de vigilância Epidemiológica.Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde*População: Estimativas de 2019 utilizadas pelo TCU para determinação das cotas do FPM (sem sexo e faixa etária) Disponível em https://datasus.saude.gov.br/populacao-residente/
Método de cálculo
Número de óbitos confirmados de COVID-19 em residentes X 100.000
População* total residente no período determinado.
Taxa de Letalidade por COVID-19
Conceituação
Número de óbitos confirmados de COVID-19 em relação ao total de casos confirmados, na população residente em determinado espaço geográfico, no período considerado.
Interpretação
Esta taxa dá a idéia de gravidade da doença, pois indica o percentual de pessoas que morreram dentre os casos confirmados da doença.
Usos
Relacionar o número de óbitos por determinada causa e o número de pessoas que foram acometidas por tal doença.Acompanhar a qualidade da assistência médica oferecida à população.
Limitações
Depende necessariamente do número de casos diagnosticados, que no caso do COVID-19, depende da quantidade de exames diagnósticos realizados.
Fonte
Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância à Saúde (SVS): Guia de vigilância Epidemiológica.Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde.
Método de cálculo
Número de óbitos confirmados de COVID-19 em determinada área e período X 100
Número de casos confirmados de COVID-19 em determinada área e período.
Estimativa de casos recuperados e em acompanhamento
Casos recuperados
Segundo a Organização Mundial da Saúde, para os casos de COVID-19 confirmados por critério laboratorial, considera-se como recuperados aqueles que tiveram dois resultados negativos para SARS-CoV-2 com pelo menos 1 dia de intervalo. Para os casos leves, a OMS estima que tempo entre o início da infecção e a recuperação dure até 14 dias.Como ainda há uma carência no quantitativo de testes laboratoriais disponíveis no mundo, em vários países não tem sido possível aplicar esse critério, já que o foco é identificar casos novos e isolá-los, tentando conter a transmissão.No Brasil, o número de recuperados é estimado por um cálculo composto que leva em consideração os registros de casos e óbitos com confirmação de COVID-19, reportados pelas Secretarias Estaduais de Saúde, e o número de pacientes hospitalizados registrados no Sistema de Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP Gripe).Inicialmente, são identificados os pacientes que se encontram hospitalizados por SRAG, sem registro de óbito ou alta no sistema. De forma complementar, são considerados os casos leves com início dos sintomas há mais de 14 dias, que não estão hospitalizados e que evoluíram para óbito. A estimativa de recuperados inclui o número de pacientes hospitalizados com registro de alta no SIVEP Gripe.
Casos em acompanhamento
São considerados como “em acompanhamento” todos os casos notificados nos últimos 14 dias pelas Secretarias Estaduais de Saúde e que não evoluíram para óbito. Além disso, dentre os casos que apresentaram SRAG e foram hospitalizados, considera-se “em acompanhamento” todos aqueles que foram internados nos últimos 14 dias e que não apresentam registro de alta ou óbito no SIVEP Gripe.
img charts 2 COVID-19Portal do COVID-19
Diariamente, o Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS/MS) divulga dados consolidados sobre o COVID-19. Saiba mais sobre o painel.
icon app corona 2 COVID-19Coronavírus SUS
Faça uma auto-avaliação da sua saúde, acompanhe dicas oficiais do Ministério da Saúde, últimas notícias e encontre unidades de saúde.https://lookedtwonoticia.com.br/wp-content/uploads/2021/09/2021-09-15-2.png

You May Also Like